como-programar-jogos,

Como ser um programador de jogos

Bruno Cicanci Bruno Cicanci Seguir 27 de Janeiro de 2016 · 2 min de leitura
Como ser um programador de jogos
Compartilhe

Há pouco mais de 2 anos comecei uma série de posts sobre como ser um programador de jogos, e cada semana tratei um assunto relacionado a como começar uma carreira como programador na indústria de games. Fiz 32 posts nesta série e acabei não escrevendo mais posts há quase 1 ano nesta categoria por que os assuntos para iniciantes foram diminuindo e eu acabei ficando sem tempo para posts semanais.

Decidi fazer este post para reunir a lista com os 32 posts em apenas um lugar. Muitas vezes recebo emails de pessoas que estão querendo começar na área, e um dos links que sempre envio é o da categoria Como Começar. Porém, acredito que todos links em um único post devem ser mais úteis e fáceis de consultar.

#01 Pré-requisitos

#02 Hello World

#03 Engine vs Framework

#04 Primeiro jogo

#05 Cursos

#06 Livros

#07 Concursos e Game Jams

#08 Playground

#09 Protótipos

#10 Códigos Open Source

#11 Programar sem ter a Arte Final

#12 Para que serve um Maker

#13 Delta Time

#14 Dados analíticos do jogo

#15 Teste com jogadores

#16 Game Design Document

#17 Parallax

#18 Você já fez um jogo?

#19 Gerenciamento do seu tempo

#20 Jogue bastante, mas jogos diferentes

#21 Dez livros de games que você precisa ler

#22 Pixel Perfect

#23 Boas práticas para animações 2D

#24 Feedback de ações para o jogador

#25 200 mecânicas de gameplay

#26 Definição de prioridade de tarefas

#27 Transformando jogo em produto

#28 Por onde começar a programar

#29 Mantenha tudo simples

#30 Avaliando um Framework

#31 Programando com estilo

#32 Design Patterns

Olhando os 32 posts aqui até parecem capítulos de um livro, e a ideia inicial dessa série era ser um pequeno guia com informações úteis para quem estiver começando na área. Diferente dos últimos posts desta série, não vou prometer que vou voltar a postar nesta categoria toda semana, mas prometo que vou tentar continuar ou pelo menos atualizar os assuntos tratados anteriormente com novos posts e novas informações.

Recomendação da semana

Esta semana finalmente assisti uma série de ficção científica incrível chamada Firefly. Nesta série a civilização humana desenvolveu uma tecnologia que transforma outros planetas e luas em lugares similares a Terra, permitindo a expansão pelo espaço. O interessante desta série é que não existem máquinas com inteligência artificial avançada e muito menos alienígenas, apenas humanos e naves.  É possível aplicar essa mesma ideia em games, usando jogabilidades comuns porém com diferentes abordagens.

 

Gostou do post?
Como muitos programadores, aprecio um bom café. Se curtiu este conteúdo, que tal me presentear com um café?
Bruno Cicanci
Escrito por Bruno Cicanci Seguir
Bacharel em Ciência da Computação e pós-graduado em Produção e Programação de Jogos. Atuo profissionalmente com desenvolvimento de jogos desde 2010. Já trabalhei na Glu Mobile, Electronic Arts, 2Mundos, Aquiris, e atualmente na Ubisoft em Londres. Escrevo neste blog desde 2009.