como-programar-jogos,

Como ser um programador de jogos: Você já fez um jogo?

Bruno Cicanci Bruno Cicanci Seguir 15 de Janeiro de 2014 · 2 min de leitura
Como ser um programador de jogos: Você já fez um jogo?
Compartilhe

Em primeiro lugar, peço desculpas por não ter postado nesta série nas últimas semanas. Mas agora eu voltarei a publicar semanalmente, toda quarta-feira, e no primeiro post deste ano começo com a pergunta: você já fez um jogo?

Quase todo mundo que fala que já fez um jogo, na verdade nunca fez um jogo. Fazer um jogo envolve criar o conceito, desenvolver e publicar para o mundo conhecer seu projeto e jogar. E, infelizmente, muitas pessoas não chegam a publicar seu jogo. Quando eu falo publicar, não é necessariamente vender o jogo em alguma loja virtual. Publicar é apenas tornar público, ou seja, colocar em algum site um link para as pessoas baixarem e compartilhar esta informação com seus amigos.

Geralmente, o principal objetivo em desenvolver um jogo é divertir as pessoas. Existem diversos livros como o Homo Ludens e Regras do Jogo que falam da importância dos jogos na sociedade, e não há nada mais satisfatório do que ver uma pessoa jogando algo que você desenvolveu. É por isso que entrei nesta área, e é isso que me deixa apaixonado em criar jogos e experiências para as pessoas fugirem da sua realidade e se divertirem.

Não faz sentido fazer um jogo e não divulgar para todos jogarem. Você pode fazer diversos jogos, mas uma pessoa que fez e publicou um único jogo tem um diferencial maior que o seu para trabalhar em uma empresa de jogos. Publicar um jogo também é tornar seu portifólio público, e se você quer trabalhar com jogos isto é essencial. Não importa se você acha que não vai fazer dinheiro com o seus primeiros jogos, você tem que publicar para começar a receber feedback das pessoas e validar se você está indo para o caminho certo.

Portanto, se você desenvolveu jogos e não publicou nenhum deles, você NÃO fez um jogo. E isso vale para toda forma de arte, se você não divulgar o que você faz para as pessoas verem e darem seu feedback, você não pode se considerar um artista. Não seja tímido e não tenha vergonha, mostre para o mundo seu trabalho, e então você poderá falar que faz jogos.

O meu portfólio está desatualizado desde que terminei a minha pós-graduação em 2010, então lá não estão os jogos que desenvolvi na Glu Mobile, Electronic Arts e freelances. Em breve vou montar uma página nova para mostrar todos os jogos que participei do desenvolvimento, mas por enquanto vocês podem ver o meu portfólio aqui.

Gostou do post?
Como muitos programadores, aprecio um bom café. Se curtiu este conteúdo, que tal me presentear com um café?
Bruno Cicanci
Escrito por Bruno Cicanci Seguir
Bacharel em Ciência da Computação e pós-graduado em Produção e Programação de Jogos. Atuo profissionalmente com desenvolvimento de jogos desde 2010. Já trabalhei na Glu Mobile, Electronic Arts, 2Mundos, Aquiris, e atualmente na Ubisoft em Londres. Escrevo neste blog desde 2009.