como-programar-jogos,

Como ser um programador de jogos: Jogue bastante, mas jogos diferentes

Bruno Cicanci Bruno Cicanci Seguir 12 de Fevereiro de 2014 · 2 min de leitura
Como ser um programador de jogos: Jogue bastante, mas jogos diferentes
Compartilhe

Muita gente acha quem trabalha com games fica jogando o dia inteiro. Isto é verdade, jogamos muito o projeto em que trabalhamos, mas também precisamos jogar outras coisas para ter novas ideias.

É incrível como, com o passar o tempo, quanto mais você desenvolve games, mais seu olhar fica atento a detalhes em um jogo. Não estou falando disso no sentido de falar mal de um jogo ou ficar achando defeitos, mas sim no sentido de aprender observando o jogo.

Por exemplo, você pode estar desenvolvendo um jogo em que uma determinada mecânica da jogabilidade não está muito boa. Neste caso, você pode jogar jogos que tenham a mecânica parecida e tentar entender como o seu problema foi resolvido neste jogo. Este é um dos benefícios de jogar tentando entender como o jogo foi feito, mas existem outras formas de aprender com games.

Jogar tipos diferentes de jogos, que você normalmente não está acostumado, pode te ajudar muito a aprender novas mecânicas de jogabilidade e até ter novas ideias para interface e HUD. É possível aprender e ter ideias para seus próprios projetos jogando desde games AAA hardcore para consoles até jogos sociais de Facebook e mobile. Mesmo que você não goste do jogo, ou não seja o seia tipo de jogo, jogue para extrair novas experiências que você pode proporcionar aos seus jogadores.

Se você quer aprender mesmo observando outros jogos, tente fazer isto: pegue um jogo que você não gosta e acha que tem muitos defeitos e tente melhorá-lo. Você irá, pelo menos, analisar o jogo, escrever um GDD para definir o game design e programar um protótipo para validar a jogabilidade. Se realmente você conseguiu melhorar o jogo seu aprendizado foi muito grande durante o processo. Basicamente, não critique se você não puder fazer melhor.

Não esqueça também de aprender com os famosos glitches, como no vídeo abaixo. Tentar entender uma mecânica para aproveitar em uma ideia é algo simples comparado com tentar entender como um determinado glitch acontece e por que.

Gostou do post?
Como muitos programadores, aprecio um bom café. Se curtiu este conteúdo, que tal me presentear com um café?
Bruno Cicanci
Escrito por Bruno Cicanci Seguir
Bacharel em Ciência da Computação e pós-graduado em Produção e Programação de Jogos. Atuo profissionalmente com desenvolvimento de jogos desde 2010. Já trabalhei na Glu Mobile, Electronic Arts, 2Mundos, Aquiris, e atualmente na Ubisoft em Londres. Escrevo neste blog desde 2009.