como-programar-jogos,

Como ser um programador de jogos: Avaliando um framework

Bruno Cicanci Bruno Cicanci Seguir 26 de Junho de 2014 · 2 min de leitura
Como ser um programador de jogos: Avaliando um framework
Compartilhe

Existem muitos frameworks para jogos na internet, e cada vez mais estão sendo lançados para diversas plataformas. Por isso, é importante saber o que um framework deve ter e o que deve ser testado, antes de escolher a tecnologia errada e descobrir isso tarde demais para mudar.

Os itens abaixo foram baseados em necessidades que tive (e não foram atendidas) quando desenvolvi o TCC da minha pós-graduação. O framework que eu usei foi uma escolha tão errada que ele falha em quase todos os itens abaixo, mas era tarde demais para mudar.

Por isso, vale a pena perder um tempo no começo do projeto avaliando se o framework escolhido realmente serve para o que você quer fazer, e também se funciona bem, para não te deixar na mão.

  • Possui alguma biblioteca de física? Se não, existe alguma recomendada pelos criadores do framework que funciona bem em conjunto?
  • Consegue trabalhar com sprite sheets ou apenas imagens separadas?
  • É necessário muitas linhas de código para carregar e desenhar algo na tela?
  • Possui suporte para eventos de entrada (teclado, mouse, touch, etc)?
  • No caso de 3D, quais são as compressões de textura que tem suporte?
  • Existe um site/forum para tirar dúvidas? Algo feito para a comunidade de desenvolvedores que usa a tecnologia?
  • O framework é atualizado constantemente?
  • Possui um roadmap de futuras atualizações? Eles são abertos a sugestões?
  • Pode ser utilizado em mais de uma plataforma?
  • Se for pago, existe uma versão trial para testes?
  • Possui suporte a redes sociais, publicidade e pagamento (para comprar itens no jogo com dinheiro de verdade)? Se não, aceita algum framework externo?
  • Em quais sistemas operacionais e IDEs (visual studio, xcode, eclipse, etc) funciona?
  • O framework é famoso e já foi utilizado em jogos publicados?
  • É fácil de debugar e entender os problemas?

Isso tudo é bem genérico, e é claro que depende do tipo de jogo que você está desenvolvendo. Mas, mesmo se não usar algo no início do projeto, é bom saber se o framework tem suporte a uma determinada funcionalidade, ou seu jogo não será flexível. Existe mais algum ponto que vale a pena ser verificado antes de escolher um framework? Comente abaixo!

Gostou do post?
Como muitos programadores, aprecio um bom café. Se curtiu este conteúdo, que tal me presentear com um café?
Bruno Cicanci
Escrito por Bruno Cicanci Seguir
Bacharel em Ciência da Computação e pós-graduado em Produção e Programação de Jogos. Atuo profissionalmente com desenvolvimento de jogos desde 2010. Já trabalhei na Glu Mobile, Electronic Arts, 2Mundos, Aquiris, e atualmente na Ubisoft em Londres. Escrevo neste blog desde 2009.