game-dev,

Organização de um projeto de jogo (parte 3)

Bruno Cicanci Bruno Cicanci Seguir 5 de Junho de 2012 · 2 min de leitura
Organização de um projeto de jogo (parte 3)
Compartilhe

Nesta terceira parte, o foco será a comunicação entre os membros da equipe, e como fazer com que todas as pessoas envolvidas no projeto tenham acesso a informações sobre o projeto e discussões. Confiram também a parte 1 e a parte 2 desta série de posts.

Comunicação entre os membros do grupo

Comunicação sempre foi e sempre será um grande problema em equipes. Cada vez temos mais opções de tecnologias e serviços para facilitar a comunicação, e cada vez mais encontramos maneiras de não utilizá-los. Há um tempo atrás eu recomendaria a criação de uma Wiki para compartilhar informações do projeto, e o Google Groups para comunicação entre os membros do projeto. Porém, hoje acredito que o grupo criado no Facebook funciona muito melhor do que isso.

É possível criar grupos privados e invisíveis aos demais usuários, sendo que novos usuários poderão acessar o grupo somente através de convites. O grupo no Facebook tem as mesmas funcionalidades que um perfil, porém as atualizacões são publicadas apenas para seus membros. Com o grupo é possível também agendar reuniões (eventos), adicionar fotos, e publicar arquivos.

Isso não resolve problemas de comunicação, que sempre existirão, mas ajuda bastante, pois o grupo funciona como um lugar reservado aos membros do projeto, que podem postar qualquer coisa e comentar em atualizações. O melhor de tudo é que qualquer atualização no grupo é avisada no Facebook de todos os membros, e como todo mundo sempre acessa o Facebook para ver o que os amigos estão fazendo, será inevitável não ver!

Muita gente gosta de fazer grupos de e-mails, como o Google Groups, ou até criar um e-mail único para o projeto. Nesse caso acho interessante o uso do grupo do Facebook, pois toda informação fica disponível para os membros do grupo, sem a necessidade de procurar e-mails para encaminhar para algum membro novo. Utilizar grupos também ajuda na hora de criar post mortens do projeto, pois todas as dificuldades encontradas e suas soluções estaram lá registradas.

Gostou do post?
Como muitos programadores, aprecio um bom café. Se curtiu este conteúdo, que tal me presentear com um café?
Bruno Cicanci
Escrito por Bruno Cicanci Seguir
Bacharel em Ciência da Computação e pós-graduado em Produção e Programação de Jogos. Atuo profissionalmente com desenvolvimento de jogos desde 2010. Já trabalhei na Glu Mobile, Electronic Arts, 2Mundos, Aquiris, e atualmente na Ubisoft em Londres. Escrevo neste blog desde 2009.