game-dev,

Organização de um projeto de jogo (parte 1)

Bruno Cicanci Bruno Cicanci Seguir 3 de Junho de 2012 · 2 min de leitura
Organização de um projeto de jogo (parte 1)
Compartilhe

Durante um projeto de jogo muitas informações são criadas, e podem ser pedidas se não forem organizadas. Por ser multidisciplinar, um projeto de jogo terá arquivos de arte, música, documentos de design, diagramas, código-fonte, e é muito importante que tudo isso seja bem guardado, pois são os recursos utilizados para fazer seu jogo.

Projetos de jogos antigos podem ser utilizados como referência, e podem até ter parte do seu código reaproveitado para um jogo novo. Músicas e artes podem ser utilizadas no desenvolvimento, enquanto os novos recursos não estiverem prontos. É possível até reaproveitar o projeto inteiro, apenas mudando a arte e o tema do jogo, mas mantendo toda a base de código e jogabilidade, o que também é conhecido como reskin.

Esta é a primeira parte de uma série que irei publicar esta semana sobre organização de um projeto de jogo, principalmente jogos indie. As dicas abaixo me ajudaram a organizar diversos projetos pessoais, como trabalhos da pós-graduação e jogos que inscrevi para concursos. Se você tem alguma sugestão para ser adicionada aqui é só deixar um comentário!

Documentos compartilhados na nuvem

Com a moda de colocar tudo na nuvem da internet, surgiram algumas soluções bem legais que basicamente substituem o uso de um pendrive. O serviço que eu mais utilizo é o DropBox, que te dá 2GB de armazenamento e mais 500MB por cada amigo que você convidar para se cadastrar (máximo de 18GB na conta gratuita).

O DropBox possui versão desktop (Windows e Mac), mobile (Android e iOS) e pode ser acessado através de um navegador de internet. As versões desktop e mobile possuem sincronização automática, ou seja, você pode escrever um documento no seu PC, ler no seu celular a caminho do trabalho, e acessar novamente no seu computador do trabalho. É realmente útil, e mais seguro do que carregar coisas em pendrive. Você também não terá problemas com documentos desatualizados, você sempre acessará a versão mais recente de tudo.

A maior vantagem do uso do DropBox em um projeto é a possibilidade de compartilhar pastas com seus amigos, e todos podem trabalhar ao mesmo tempo. Para evitar problemas, o DropBox possui um controle de alterações dos arquivos, e você pode recuperar uma versão mais antiga de um documento, caso seja necessário.

Eu recomendo utilizar o DropBox para arquivos como documentos, apresentações, planilhas, músicas, artes, e versões estáveis do código-fonte. Porém, não eu não recomendo utilizar o DropBox para armazenar o código-fonte durante o desenvolvimento, para isso existem outros recursos mais legais no próximo tópico.

Além do DropBox, eu já utilizei também o Google Drive, que está em Beta fechado, por isso acho melhor o DropBox. Se você precisar de mais de 18GB (lembre-se que esse é o espaço máximo gratuito por usuário), você ainda pode contratar planos maiores através do site deles.

Gostou do post?
Como muitos programadores, aprecio um bom café. Se curtiu este conteúdo, que tal me presentear com um café?
Bruno Cicanci
Escrito por Bruno Cicanci Seguir
Bacharel em Ciência da Computação e pós-graduado em Produção e Programação de Jogos. Atuo profissionalmente com desenvolvimento de jogos desde 2010. Já trabalhei na Glu Mobile, Electronic Arts, 2Mundos, Aquiris, e atualmente na Ubisoft em Londres. Escrevo neste blog desde 2009.