No final do ano passado, duas grandes game engines ganharam versões gratuitas, a Unity e a Unreal Development Kit (UDK). Talvez estas foram as melhores notícias para os desenvolvedores independentes e estudantes no em 2009, pois agora podemos desenvolver jogos utilizando game engines profissionais. Pra mim foi muito bom, pois poderei utilizar uma destas game engines no meu TCC neste ano.

O que o jogador quer? Este foi um tema de uma discussão em uma das aulas de Game Design, e rendeu uma boa discussão devido ao ponto de vista dos alunos, do professor e de alguns artigos que haviamos lido. Discutimos, principalmente, três públicos diferentes: jogadores hardcore, pais que jogam com seus filhos pequenos, e ex-jogadores. Cada público possui suas características e necessidades.

Existem algumas maneiras de se analisar um jogo através de um olhar crítico. Na matéria de Game Design, na pós-graduação, uma das formas que utilizamos para analisar um jogo são as 6 características de jogos identificadas por Jasper Juul, em seu livro Half-Real: Video games between Real Rules and Fictional Worlds. Este livro, assim como o Game Design Workshop, são essenciais para game designers.

A usabilidade de um jogo digital é tão importante quanto a interface de um web site ou software, e em alguns aspectos as interfaces são semelhantes. Assim, podemos usar os mesmos métodos de análise de interface e usuabilidade em todos estes produtos citados.

Ontem foi a final da primeira edição do concurso de jogos digitais organizado pelo SENAC São Paulo, o e-Games. Eu e mais 4 equipes finalistas apresentamos nossos jogos para um banca que os avaliou e decidiram os 3 melhores. Infelizmente não fiquei entre os 3 melhores jogos, fiquei em 5º lugar. No fundo eu esperava isso, já que fiquei bem surpreso por ser um finalista, sendo que fiz o jogo em apenas uma semana. Segundo a organização do evento, pouco mais de 60 equipes se inscreveram para este concurso, e apenas 20 e poucas equipes enviaram tudo que era necessário para participar.

Hoje fiquei muito feliz com a notícia de que meu jogoSpaceShip 4042 feito com XNA para o concurso e-Games 2009, a primeira competição de jogos digitais do SENAC São Paulo, foi escolhido como um dos finalistas. Fiquei mais feliz ainda em descobrir que os finalistas deste concurso são apenas 5 jogos, entre eles o meu!

O SENAC São Paulo organizou sua primeira competição de jogos digitais, o e-Games, onde os concorrentes deveriam criar um jogo utilizando XNA. Além do jogo feito com XNA, foi necessário entregar um vídeo, documento de game design, apresentação, resumo e guia de instalação. O Download do jogo pode ser feito clicando aqui, ele necessita do .Net Framework 3.5 e Microsoft XNA Framework Redistributable 3.1 instalados para rodar, não é necessário instalar o jogo, apenas executar o SpaceShip4042.exe.

Este é o primeiro jogo que fiz para celulares, e também foi o primeiro projeto que terminei tudo o que eu planejava fazer. Fiz este jogo para a matéria de Jogos para Celular na pós-graduação utilizando Java Mobile (JME com CLDC 1.1/MIDP 2.0) e o Netbeans 6.7.1.

Eu pensava que animar um objeto 3D era tão complicado quando modelar, mas fiquei surpreso ao descobrir que o processo de animação no Softimage XSI é muito parecido com o do Adobe Flash. Embora sejam softwares diferentes, com finalidades distintas, a idéia básica de animar por Frames está presente em ambos.

Programar um jogo 2D não é algo muito complexo, pois trabalhar com objetos em duas dimensões não exige muitos cálculos. Claro que existem exceções, mas, na maioria dos casos, a programação em um ambiente 2D é bem simples de fazer.