Hoje assisti uma palestra na Alpha Channel sobre Web Games, que me incentivou a escrever este post, e também me lembrou de um web game em flash que fiz em 2005, seguindo um tutorial que achei no Google. Foi o primeiro jogo que fiz, quando estava aprendendo Flash no meu primeiro estágio de web designer.

Como havia comentado em outro post, vou falar sobre a matéria de Técnicas de Programação de Games que tive na pós, onde o foco era apresentar as principais técnicas de programação, muitas aplicáveis não somente a games, e fazer um primeiro contato com uma biblioteca específica para games, que neste caso foi a SDL.

Já me questionei muito isso, pensando em como poderia começar uma carreira de desenvolvedor de games, mesmo que seja indie. Encontrei algumas respostas e muitas dúvidas, que foram exclarecidas pela minha professora de Produção de Games da pós-graduação. Depois de pensar sobre todas as informações que tinha, e levando em conta a indústria de games no Brasil, encontrei três perfis distintos de programadores de games iniciantes, e também indie:

Geralmente, um programador tem dificuldades quando precisa fazer algum tipo de design, e vice-versa, principalmente na área de games onde um programador de games é muito mais que um programador web, e um artista é muito mais que um web designer, por exemplo. Eu sou programador, mas meus primeiros estágios foram em web design, então pelo menos sei que #FFFFFF é branco (rs), mas fazer algo como modelagem 3D é bem mais complicado.

Ano passado terminei o meu curso de graduação em Ciência da Computação na Universidade São Judas Tadeu, e atualmente trabalho como Analista de Sistemas. Este ano queria estudar algo diferente, e como sempre gostei de games, comecei a pesquisar quais cursos exitem hoje para esta área, sendo que quando comecei a graduação (2005) acho que só tinha o curso de Designer de Games na Anhembi Morumbi.