game-dev,

Conheça o Marmalade SDK

Bruno Cicanci Bruno Cicanci Seguir 12 de Maio de 2015 · 3 min de leitura
Conheça o Marmalade SDK
Compartilhe

A última vez que usei o Marmalade SDK ele nem tinha este nome, era chamado de Airplay SDK até ter o nome alterado devido a uma tecnologia da Apple também chamada AirPlay. Muitos jogos na EA até 2011~2012 eram desenvolvidos utilizando este framework, e hoje ele está bem diferente.

Antes de começar o post queria deixar claro que o objetivo deste post não é falar que uma tecnologia é melhor do que a outra, mas sim apresentar uma opção de framework e comentar minha experiência com ele.

Na época em que se chamava Airplay SDK existiam poucas tecnologias com preços acessíveis aos desenvolvedores independentes, e esta não era uma excessão. Mas hoje muitas coisas mudaram e praticamente toda tecnologia para desenvolvimento de jogos tem alguma opção para indies, e foi o que colocou o Marmalade de volta ao jogo.

Eu acredito que um dos motivos que fizeram a EA usar este framework foi por causa da sua flexibilidade em adicionar novos módulos e a possibilidade de publicar para várias plataformas (ou várias versões para a mesma plataforma, como versões localizadas), e pelo desenvolvimento ser em C++. Muitas tecnologias da EA eram integradas neste SDK sem grandes problemas, e provavelmente isso também ajudou no desenvolvimento do seu framework próprio chamado EAMT.

Hoje o Marmalade SDK continua tão flexível quanto antes, podendo até ser utilizando em conjunto com o framework Cocos2d-x e muitas outras tecnologias. Além do Marmalade SDK, que é o framework em C++, também existem outros produtos como o Juice (que converte Objective-C para Android), o Quick (para desenvolvimento usando Lua script, veja o video abaixo) e o Web (que é construído em cima do PhoneGap).

Uma das vantagens do Marmalade que eu gosto bastante é a facilidade na hora de gerar builds. Muitos desenvolvedores hoje não se preocupam com isso, pois basta seleciona uma plataforma que a Unity gera a build pronta, por exemplo. Porém, quando você precisa de mais de uma versão para a mesma plataforma com algumas diferenças, ai as coisas começam a ficar complicadas. No Marmalade é possível automatizar a build para várias plataformas e mesmo versões específicas utilizando um arquivo de configuração chamado MKB.

Além disso, este framework permite o desenvolvimento de jogos em 2D ou 3D, e muitas features legais que podem ser utilizadas em ambos os casos. Neste link é explicado como o SDK funciona, deixando clara a sua frase “Native performance. Any Device.“.

O Marmalade possui 5 tipos de licença, desde a gratuita até uma que custa USD 3.500 por ano, e suporte as seguintes plataformas: iOS, Android, Mac, Windows, Windows Phone, Tizen, BlackBerry e Roku. Vale a pena analisar as features de cada tipo, porém a versão gratuita é suficiente para desenvolver um jogo, pois a diferença entre elas são serviços e customizações.

Confira aqui alguns jogos desenvolvidos utilizando este framework e baixe a versão gratuita para testar! O video abaixo mostra como começar o desenvolvimento no Marmalade SDK, e muitos outros estão disponíveis no canal do YouTube da empresa.

Gostou do post?
Como muitos programadores, aprecio um bom café. Se curtiu este conteúdo, que tal me presentear com um café?
Bruno Cicanci
Escrito por Bruno Cicanci Seguir
Bacharel em Ciência da Computação e pós-graduado em Produção e Programação de Jogos. Atuo profissionalmente com desenvolvimento de jogos desde 2010. Já trabalhei na Glu Mobile, Electronic Arts, 2Mundos, Aquiris, e atualmente na Ubisoft em Londres. Escrevo neste blog desde 2009.