gamedeveloper

Conheça o Marmalade SDK

Conheça o Marmalade SDK

A última vez que usei o Marmalade SDK ele nem tinha este nome, era chamado de Airplay SDK até ter o nome alterado devido a uma tecnologia da Apple também chamada AirPlay. Muitos jogos na EA até 2011~2012 eram desenvolvidos utilizando este framework, e hoje ele está bem diferente.

Antes de começar o post queria deixar claro que o objetivo deste post não é falar que uma tecnologia é melhor do que a outra, mas sim apresentar uma opção de framework e comentar minha experiência com ele.

Na época em que se chamava Airplay SDK existiam poucas tecnologias com preços acessíveis aos desenvolvedores independentes, e esta não era uma excessão. Mas hoje muitas coisas mudaram e praticamente toda tecnologia para desenvolvimento de jogos tem alguma opção para indies, e foi o que colocou o Marmalade de volta ao jogo.

Eu acredito que um dos motivos que fizeram a EA usar este framework foi por causa da sua flexibilidade em adicionar novos módulos e a possibilidade de publicar para várias plataformas (ou várias versões para a mesma plataforma, como versões localizadas), e pelo desenvolvimento ser em C++. Muitas tecnologias da EA eram integradas neste SDK sem grandes problemas, e provavelmente isso também ajudou no desenvolvimento do seu framework próprio chamado EAMT.

Hoje o Marmalade SDK continua tão flexível quanto antes, podendo até ser utilizando em conjunto com o framework Cocos2d-x e muitas outras tecnologias. Além do Marmalade SDK, que é o framework em C++, também existem outros produtos como o Juice (que converte Objective-C para Android), o Quick (para desenvolvimento usando Lua script, veja o video abaixo) e o Web (que é construído em cima do PhoneGap).

Uma das vantagens do Marmalade que eu gosto bastante é a facilidade na hora de gerar builds. Muitos desenvolvedores hoje não se preocupam com isso, pois basta seleciona uma plataforma que a Unity gera a build pronta, por exemplo. Porém, quando você precisa de mais de uma versão para a mesma plataforma com algumas diferenças, ai as coisas começam a ficar complicadas. No Marmalade é possível automatizar a build para várias plataformas e mesmo versões específicas utilizando um arquivo de configuração chamado MKB.

Além disso, este framework permite o desenvolvimento de jogos em 2D ou 3D, e muitas features legais que podem ser utilizadas em ambos os casos. Neste link é explicado como o SDK funciona, deixando clara a sua frase “Native performance. Any Device.“.

O Marmalade possui 5 tipos de licença, desde a gratuita até uma que custa USD 3.500 por ano, e suporte as seguintes plataformas: iOS, Android, Mac, Windows, Windows Phone, Tizen, BlackBerry e Roku. Vale a pena analisar as features de cada tipo, porém a versão gratuita é suficiente para desenvolver um jogo, pois a diferença entre elas são serviços e customizações.

Confira aqui alguns jogos desenvolvidos utilizando este framework e baixe a versão gratuita para testar! O video abaixo mostra como começar o desenvolvimento no Marmalade SDK, e muitos outros estão disponíveis no canal do YouTube da empresa.