Há 11 meses escrevi um post aqui sobre meus primeiros 30 dias trabalhando em uma empresa de games. Hoje faz exatamente 1 ano que comecei a trabalhar com jogos e muita coisa mudou, inclusive a empresa que eu trabalhava. Comecei como Engenheiro de Software na Glu Mobile e hoje tenho o mesmo cargo na Electronic Arts, na divisão EA Mobile. Estou tendo uma oportunidade única de expandir meu conhecimento trabalhando em uma das maiores empresas do mundo, principalmente relacionado a jogos mobile.

Existem muitas revistas sobre games por ai, porém quase nenhuma fala sobre desenvolvimento de jogos. A revista EDGE, que durou pouco tempo no Brasil, ainda tinha algumas matérias interessantes sobre a indústria de games (inclusive no Brasil), mas era bem superficial para uma pequena parte do público que se interessa em ler sobre como grandes jogos são produzidos, qual técnica/software os estúdios usam para o desenvolvimento de um game, por que um jogo faz mais sucesso do que outro, por que um produto foi desenvolvido para determinado público (e se atingiu esse público), entre outras coisas.

Hoje, a animação com Computação Gráfica é algo comum em filmes e games, mas como isso começou? O vídeo abaixo mostra desde as primeiras animações para filmes com stop motion até a impressionante tecnologia utilizada em Avatar. É incrível como a tecnologia utilizada nos filmes evoluiu nos últimos anos.

Algumas pessoas no meu Facebook postaram este vídeo muito engraçado com algumas coisas que as pessoas pensam sobre trabalhar com jogos, mas que na realidade são um pouco diferentes. É claro que o vídeo é um pouco exagerado, e em algumas partes discordo do seu ponto de vista. O importante é fazer o que gosta, e eu me divirto muito trabalhando nesta indústria!

Hoje começa um novo tipo de post aqui no blog onde realizo uma entrevista com alguém que tenha experiência na indústria de games, sempre com perguntas a respeito da opinião do entrevistado sobre mercado de games no Brasil e no mundo. A primeira pessoa entrevistada é o Andreas Stock, da StockJogos. Consegui essa estrevista através de um amigo que trabalha com ele, o Juliano Kimura (obrigado!).

Game Jolt é um portal de jogos bem legal, onde você pode publicar seus jogos para web ou download, e as pessoas que jogam podem comentar e dar notas para os games. O foco do Game Jolt são desenvolvedores independentes e até estudantes que querem mostrar ao mundo seus jogos. Eu publiquei dois jogos neste portal, um feito em flash há muitos anos (meu primeiro game), e outro que fiz recentemente usando a Unity, que podem ser acessados por este link.

No Brasil, o e-Games é um dos poucos concursos de desenvolvimento de jogos organizados por aqui. Em outros países, talvez principalmente nos EUA, concursos de desenvolvimento de jogos são mais comuns e alguns dão prêmios muito bons em dinheiro, além de reconhecimento na indústria de games. Muitos jogos independentes que são famosos hoje conseguiram esta fama após ganhar alguns concursos deste tipo. Para participar destes concursos é muito importante ler o regulamento antes de entrar, pois podem haver restrições.

Este ano participei da segunda edição do e-Games, o concurso de desenvolvimento de jogos organizado pelo SENAC. Ano passado, na primeira edição, fui um dos finalistas e fiquei em quito lugar. Este ano participei com o jogo que desenvolvi para o TCC da minha pós-graduação em Games: Produção e Programação, e novamente consegui ficar entre os finalistas.

Depois de 4 meses de desenvolvimento (game design, programação e arte), e algumas noites sem dormir, consegui terminar o meu  TCC da pós-graduação em Games: Produção e Programação no SENAC. Meu projeto foi a versão de demonstração do Oniro, um jogo de aventura com plataformas em 2D, desenvolvido utilizando XNA e FlatRedBall.

Deixei o blog desatualizado por um tempo por causa do meu TCC da pós-graduação, que finalmente terminei e logo postarei aqui as informações sobre ele o a versão demo do jogo que fiz. Agora pretendo atualizar este blog com mais frequência, já que estou livre do TCC e com muito conteúdo para postar.