gamedeveloper

Postmortem de Diablo II é publicado 15 anos depois

Postmortem de Diablo II é publicado 15 anos depois

Dependendo do que você usar como exemplo, 15 anos pode não parecer muito. Mas, quando levamos em consideração qualquer coisa relacionada a tecnologia, este tempo parece ser muito maior.

Eu confesso que joguei pouco Diablo II, na época gostava mais de Warcraft. Mesmo quem não jogou já ouviu falar alguma vez deste jogo, principalmente depois do lançamento do esperado Diablo III (que muitos fãs dos primeiros jogos não gostaram). Esta semana o gamasutra publicou o postmortem do Diablo II, e muitas coisas me deixaram surpreso.

Naquela época a Blizzard estava crescendo e, como toda empresa que têm projetos grandes, uma das suas preocupações é o controle de versão do código. Quando li que eles utilizaram o Microsoft SourceSafe achei curioso (eu mesmo usei muito isso quando era analista de sistemas), pois fiquei pensando no que poderia ter levado eles a escolherem esta solução. Sabe em qual conclusão cheguei? Provavelmente esta era a única alternativa estável e confiável para a época, pois o SVN foi lançado em 2000 e o nosso querido GIT em 2005, enquanto que o SourceSafe existia desde 1994.

Viu como anos parecem ser mais longos quando falamos de tecnologia? Além do SourceSafe, os programadores usaram o Visual Studio (melhor IDE na minha opinião) e programaram em C/C++. Enquanto que os artistas usaram Photoshop para as texturas e 3D Studio Max para modelar e animar. E só isso. Acho que hoje em dia até um desenvolvedor indie em seu quarto deve usar mais tools do que foram utilizadas para fazer o Diablo II. Quer ver outra coisa curiosa? Olha as máquinas usadas por programadores e artistas:

Typical programmer workstation: 500 MHz Pentium II running Windows NT with 128MB RAM and 9GB hard drive.

Typical artist workstation: dual 500 MHz Pentium IIs running Windows NT with 256MB RAM and 14GB hard drive.

Eu acho incrível que nesta época os desenvolvedores levavam ao limite os poucos recursos que tinham para fazer jogos incríveis, sendo que hoje com toda tecnologia que temos disponível poucos jogos conseguem se tornar memoráveis.

Não vou dar mais spoilers, recomendo você ler o artigo inteiro publicado no gamasutra, vale muito a pena! Vou deixar também um vídeo que encontrei e que combina com o assunto, pois é um cara jogando Diablo II 14 anos depois do lançamento (foi gravado em janeiro deste ano).

Ah, uma dica de jogo para quem gosta de Diablo II, dá uma olhada no Torchlight. Ele foi desenvolvido por um pessoal que trabalhou no Diablo II e saiu da Blizzard durante o projeto do Diablo III por não gostar da direção do projeto, então fizeram seu próprio jogo com tudo que o Diablo II tinha de bom.