gamedeveloper

Como ser um programador de jogos

Como ser um programador de jogos

Há pouco mais de 2 anos comecei uma série de posts sobre como ser um programador de jogos, e cada semana tratei um assunto relacionado a como começar uma carreira como programador na indústria de games. Fiz 32 posts nesta série e acabei não escrevendo mais posts há quase 1 ano nesta categoria por que os assuntos para iniciantes foram diminuindo e eu acabei ficando sem tempo para posts semanais.

Decidi fazer este post para reunir a lista com os 32 posts em apenas um lugar. Muitas vezes recebo emails de pessoas que estão querendo começar na área, e um dos links que sempre envio é o da categoria Como Começar. Porém, acredito que todos links em um único post devem ser mais úteis e fáceis de consultar.

#01 Pré-requisitos

#02 Hello World

#03 Engine vs Framework

#04 Primeiro jogo

#05 Cursos

#06 Livros

#07 Concursos e Game Jams

#08 Playground

#09 Protótipos

#10 Códigos Open Source

#11 Programar sem ter a Arte Final

#12 Para que serve um Maker

#13 Delta Time

#14 Dados analíticos do jogo

#15 Teste com jogadores

#16 Game Design Document

#17 Parallax

#18 Você já fez um jogo?

#19 Gerenciamento do seu tempo

#20 Jogue bastante, mas jogos diferentes

#21 Dez livros de games que você precisa ler

#22 Pixel Perfect

#23 Boas práticas para animações 2D

#24 Feedback de ações para o jogador

#25 200 mecânicas de gameplay

#26 Definição de prioridade de tarefas

#27 Transformando jogo em produto

#28 Por onde começar a programar

#29 Mantenha tudo simples

#30 Avaliando um Framework

#31 Programando com estilo

#32 Design Patterns

Olhando os 32 posts aqui até parecem capítulos de um livro, e a ideia inicial dessa série era ser um pequeno guia com informações úteis para quem estiver começando na área. Diferente dos últimos posts desta série, não vou prometer que vou voltar a postar nesta categoria toda semana, mas prometo que vou tentar continuar ou pelo menos atualizar os assuntos tratados anteriormente com novos posts e novas informações.

Recomendação da semana

Esta semana finalmente assisti uma série de ficção científica incrível chamada Firefly. Nesta série a civilização humana desenvolveu uma tecnologia que transforma outros planetas e luas em lugares similares a Terra, permitindo a expansão pelo espaço. O interessante desta série é que não existem máquinas com inteligência artificial avançada e muito menos alienígenas, apenas humanos e naves.  É possível aplicar essa mesma ideia em games, usando jogabilidades comuns porém com diferentes abordagens.