Tag Archives: c++

livro gratuito sobre programação em c com ênfase em multimídia

André Kishimoto, professor do curso de Jogos Digitais na Unicsul e engenheiro de software na Electronic Arts, escreveu o livro Programação Windows: C e Win32 API com ênfase em multimídia, que agora está sendo disponibilizado gratuitamente para download.

Além do ebook, foi disponibilizado também o código fonte de todos os exercícios do livro.

É um livro bem legal para quem quer estudar programação com C em aplicações multimídia como jogos.

O livro e o código fonte estão disponíveis no github. Conheça também seus dois blogs, tupinihon e pronz.

game engine: FlatRedBall (XNA)

FlatRedBall

FlatRedBall é um framework gratuito feito em C# e XNA para desenvolvimento de jogos para PC, XBLA (Xbox Live Arcade), Silverlight e Windows Phone 7. Além disso, a FlatRedBall possui um conjunto de softwares chamado Glue, que tem como objetivo abstrair o usuário da programação do framework oferecendo ferramentas visuais.

início do meu projeto de jogo para TCC

Este ano irei terminar a minha pós-graduação em Games: Produção e Programação no SENAC, e tenho que fazer o meu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), quer será uma versão demo de um jogo. O projeto do TCC começou ano passado, quando fiz um Game Design Document (GDD) sobre uma idéia de jogo que tive, porém descartei esta idéia e este ano comecei a trabalhar em outra mais simples.

Embora eu não tenha finalizado o novo GDD, defini algumas coisas importantes para o início do meu projeto: o tipo de jogo que pretendo fazer, qual público-alvo desejo atingir e em qual plataforma irei focar. A idéia inicial era fazer um jogo em 3D, porém após pensar muito, decidi fazer um jogo de plataforma 2D para PC, com elementos de aventura e puzzles, focado no público de jogadores hardcore, porém também atendendo aos jogadores casuais (como jogos de plataforma geralmente fazem). Porém, para chegar nesta definição eu precisei passar por alguns meses pesquisando tecnologias.

inteligência artificial nos jogos digitais

Em muitos jogos, a Inteligência Artificial é a principal responsável pela diversão que um game proporciona. Por exemplo, você consegue imaginar jogos como CALL OF DUTY ou GTA sem a inteligência que os NPCs possuem? Segundo este artigo do David Wong, a aprimoração da I.A. nos jogos é uma das coisas que os jogadores hardcore desejam. Quanto mais real, melhor para a experiência do usuário.

A I.A. é muito importante, mas alguns jogos ficam perfeitos com uma I.A. simples e limitada, ao contrário de jogos como SPORE que deve ter uma implementação absurda de Redes Neurais. O desenvolvedor de jogos deve conhecer os principais algoritmos de I.A., mas não é necessário sempre usá-los em todos os projetos. Na pós-graduação, tivemos uma matéria dedicada a I.A. nos jogos digitais, onde o professor Murilo Garcia apresentou as principais técnicas e quais problemas elas ajudam a resolver.

programação de jogos 3D

Programar um jogo 2D não é algo muito complexo, pois trabalhar com objetos em duas dimensões não exige muitos cálculos. Claro que existem exceções, mas, na maioria dos casos, a programação em um ambiente 2D é bem simples de fazer.

Programar um jogo 3D é um pouco mais complicado. Orientar um objeto em três dimensões não é simples de fazer, principalmente se for um objeto mais elaborado (diferente de um simples cubo, por exemplo). Este tipo de programação exige uma boa noção do que é trabalhar com três dimensões. É a mesma sensação que tive ao mexer pela primeira vez com um software de modelagem 3D; sua percepção tem que se adaptar ao ambiente 3D.

primeiro projeto de game com SDL e C++

Como havia comentado em outro post, vou falar sobre a matéria de Técnicas de Programação de Games que tive na pós, onde o foco era apresentar as principais técnicas de programação, muitas aplicáveis não somente a games, e fazer um primeiro contato com uma biblioteca específica para games, que neste caso foi a SDL.

Para programar os exercícios, utilizamos o Visual Studio 2005 e a linguagem de programação C++. Ao final desta matéria, tivemos que entregar um game, ou pelo menos uma demo de um game, utilizando os conceitos que foram apresentados nas aulas.

programador de games: por onde começar?

Já me questionei muito isso, pensando em como poderia começar uma carreira de desenvolvedor de games, mesmo que seja indie. Encontrei algumas respostas e muitas dúvidas, que foram exclarecidas pela minha professora de Produção de Games da pós-graduação. Depois de pensar sobre todas as informações que tinha, e levando em conta a indústria de games no Brasil, encontrei três perfis distintos de programadores de games iniciantes, e também indie: